Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

28 de dez de 2008

Mulher...


Pobre daquele que não reconhece o seu valor
Infeliz aquele que nunca sucumbiu a seu encanto,
Pois emerge dessa criatura, repleta da luz
que ofusca a visão de qualquer mortal ,
um ser místico, ora delicado ora felino e.fatal,
nascendo no olhar ingênuo de uma menina
Conscientemente ou não, pelo destino preparada
para competir com igualdade por seu lugar
no mundo inóspito, inescrupuloso e machista
regido pela ganância mercantilista e egoísta.
Também para ser mãe e lutar por sua prole feito heroína,
não importa sua nacionalidade, religião, raça ou cor ,
profissão, posição política tampouco social,
o que vale é o tato, a intuição, o carisma, o pé no chão
a firmeza de que dispõe, constante na busca do seu ideal
sem jamais perder a angelical delicadeza maternal
Sem esses adjetivos, próprios da alma feminina,
nossa existência decerto seria tristemente banal
Somente um dia em tua homenagem é muito pouco;
todos os elogios dos poetas nunca poderão expressa
que a mulher é portal da luz da vida, do verdadeiro amar
Então, continue nos ofuscando com seu brilho essencial,
e que me desculpe o grande mestre Vinícius de Moraes
pois, independentemente de ser bela, a mulher é fundamental.

(Valter Montani)
http://valterpoeta.blogspot.com

23 de dez de 2008

Poema do Natal

Hoje, de algum lugar.
Longe destas terras
Um olhar especial de alguém especial
De distantes origens
Um olhar de um justo coração
Que pulsa só a vida
Que sorri porque ama plenamente
Sem jugos, sem conceitos,
Sem prisões
Hoje como ontem
Longe destes céus
Há um encantado olhar só para você
Nesse olhar, nesse fitar.
Vai para você a magia da luz
A simplicidade do perdão
A força para comungar a vida
E a esperança
De dias mais radiantes de paz
Hoje, de algum lugar dentro de você.
Alguém que já o amou muito
E ainda o ama
Diz para você que valeu a pena
Ter estado nestas terras
Sob estes céus
Falando de união, paz, amor e perdão.
Só para você saber
Que hoje é Natal
E poder sentir a força
Que faz você sorrir
E continuar o caminho
Que um dia aquele doce olhar
Iniciou para você!
*
(Paulo Kronemberger).
*
http://anamgs.blogspot.com/

20 de dez de 2008

UM LÉO QUE EU CONHEÇO

Ele é Único.
E jamais, qualquer-quem, cogite,
ou mesmo ouse, querer mudar
uma pessoa assim: única e linda como ele.
Porque 'a gente é, para o que nasce'...
Assim, Léo, não precisa mudar.
Mandoki é assim e ponto.
E não precisa ser diferente.
Porque ele é muito,
em tudo o que é e faz.
Também é Sol, tem luz,
e brilha, e ama e sente
saudade e é sensível
e sente dor e solta pum.
Ele ousa, e marca.
Justamente porque,
Léo, não é óbvio.
Léo é um vinho raro.
É único, como eu,
Paula ou Tossan,
mestre da fotografia e seu amigo.
E, sendo único, não precisa mudar,
não há nada o que mudar.
Léo é assim e ponto.
Mas mesmo assim, mudamos
e ele,também, porque há diversos
ciclos em nossas vidas...
Mas a citação de Whitman,
é perfeita, porque nosso Sol,
ou nossa luz, brilha em igual
grandeza.Eu afirmo, embora
sejamos únicos, nenhum de nós,
é superior ou inferior.
Ordem de grandeza,
é referência de astros
celestes, não cabe a nós, humanos.
Porque lutamos, diariamente,
para encontrar doses, menos
destrutivas em nossa forma
de ser e estar no mundo.

Tá bem, eu confesso.
Já tive uma remington 25.
Está guardada.
Mas ainda o Léo.
Ele é tão especialmente singular,
tão único e diferente do óbvio que,
o que ele disse, é verdade: prá me
fazer reagir e agir, sem pieguices,
ele de fato, me deu um grito, dizendo
que não queria saber da minha infância.
Somente ele teria essa coragem-dura,
prá, gritar insultos e me fazer largar,
o primeiro esboço de auto-piedade
na dor que se ensaiava.
Quem, a não ser o Léo, faria algo assim?
Ele é desumano ou incivilizado?
Óbvio que não.
Ele é demasiado humano, civilizado,
corajoso e sensível, mas também é sim,
rabugento e malcriado.
Léo sabia que eu precisaria estar forte.
Fiquei triste com ele?
Talvez.
Mas apenas por intermináveis dois segundos.
Porque logo percebi que ele, havia feito aquilo,
porque "sensível" embora ele grite que não é,
percebeu e sentiu, que eu precisaria reagir
e agir diferente, eu teria que estar forte.
Realmente, somos ainda, amigos virtuais.
O que nos une?
A poesia, a escrita, a sensibilidade,
o gosto pelos livros e o saber.
Mas, como penso que o dia e a alegria
é hoje, não poderia deixar de escrever
aqui, sobre o Léo que conheço.
Estou no Galeão, aguardando um vôo e,
é tão incerto o amanhã...
Queria poder falar isso tudo, mas é tanto
a dizer sobre este Léo que eu conheço,
e ele reclama que sou hiperativa...
É que nos segundos desse tempo inexato
em que o encontro, quero despejar rios
de palavras, porque talvez
não haja um amanhã possível...
O Léo que eu conheço, gosta de ter
um toque de abstrato de mistério.
Ele é um vinho raro.
Os Vinhos, também são voláteis.
Léo Mandoki, Jr.
Um Ser Humano, único,
como cada um de nós.
E todos, sóis, e seres humanos- errantes,
tentamos, a cada dia sermos mais humanos
e civilizados do que fomos ontem.
Por que duvidas tanto que alguém possa te amar?
Um beijo, Mai.
*
Um presente ao Léo Mandoki, Jr.
Um Ser Humano, Único e especial.
Feliz natal

13 de dez de 2008

Andaluz

Pisando em meus gotejos,
vagueio em nossos versos
de aguários velejados
de acordes desvendados
pra acalentar redemoinhos
eternizados no além-mar
melodiados no além-céu
mergulhados no além-nós
lacrimejados no além-cais,
onde ecoa o nosso pranto,
amenizando a dor da areia
suavizando essa saudade
da sintonia perfumada
do abraço forte e doce
do aperto frágil-tênue,
corro e sinto morno;
canto amores, pinto acasos,
faço corpo esse meu sono
despertando o brilho pleno
desta brisa que nos resta.
*
Poema de
Renato Avelar
http://pesardealma.blogspot.com

9 de dez de 2008

Carta aos Blogueiros


Venho por meio desta, agradecer todo o carinho das pessoas maravilhosas que cruzaram minha vida através da blogosfera.
È com grande satisfação que aceito esse convite e compartilho com vocês todas minhas emoções e sentimentos.
Aqui encontro paz, carinho, compreensão, afeto e amizade verdadeira; ás vezes me pego pensado se realmente sou merecedora de todos os elogios e apoio que vocês me dão, muitos tentaram interromper essa minha caminhada mas o que prevalece na vida de uma pessoa boa, são os verdadeiros amigos e as palavras mais puras e sinceras que vem do fundo do coração.
Unimos forças e assim vamos ajudando uns aos outros, quando alguém quer se entregar e abandonar tudo, vem o que mais precisamos, as palavras amigas e confortáveis, que aliviam nossa alma e coração.
Agradeço a vocês, por me apoiarem e apoio a todos que estão nessa caminhada comigo, juntos venceremos e iremos fazer desse mundo virtual um mundo mais puro e real, para mim e para vocês; sonhar é possível e basta fazer acontecer.
Assim como eu e vocês fazemos todos os dias a cada postagem.
Ficam minhas simples palavras, mais sinceras e do fundo do meu coração.
Um abraço carinhoso a todos e que muitas postagens e lições de vida nos ajudem nessa trajetória.

Beijooo, Ana.

Íntimo Virtual de El Justiceiro

Gostei muito desta postagem, porque os sentimentos e pensamentos que expressam são muito reais! E ele soube colocar isso tão bem! Os sentimentos são verdadeiros, ainda que no virtual e poder que têm as palavras! Parabéns e tenha um Feliz Natal!

Íntimo virtual

Sentimento e algo que brota do coração, quando você ama expressa algo do seu interior.

Se trocamos palavras constantemente, ou expressamos sentimentos do nosso coração ou mesmo de nossas vidas com alguém que nunca vimos, dá a liberdade para os outros falarem com um tom de intimidade acima do normal entre amigos.
Conhecer alguém fora dos limites de uma amizade.

Classificar uma conversa como perfídia, só parece exagero para quem ainda não sentiu na pele, ou quem sabe na tela.

Não sou ciumento, mas aquilo me deixa insignificante.
Mesmo que nunca se transfira para a vida real, machuca do mesmo jeito.

A palavra faz parte da nossa essência:
ela salva e condena, ilumina e causa escuridão, faz adoecer, cura e dá esperança.
Com ela, nos acercamos do outro, nos entregamos ou nos negamos, apaziguamos, ferimos e matamos.

Com a palavra, liquidamos negócios e amores.
Podem acreditar!!
1 Papo...

FLORES PARA ANA

A minha homengem vai para a Ana, do blog http://anamgs.blogspot.com/.
Sempre escolhe textos carinhosos para alegrar nossos dias e é uma blogueira amiga e Leal. Parabéns Ana, e tenha um Feliz Natal!

8 de dez de 2008

poesia

Dura mais que um instante o prazer que, prá sempre, guardarei em mim. A beleza do teu corpo, quente. Teu cheiro gostoso-pele, de cravo, canela, da China, da Índia, do mundo de mim...Dura mais que um instante, essa alegria-fruitiva que é estar em teus braços e ficar, em ti. Dura mais que um instante, o interminável momento em que a luz-miúda dos meus olhos, revela teu riso-brilhante, de gozo que pluma, deixaste meu corpo, alma, âmago. Ai, falo baixinho, me escuta, acredita... Sou louca por ti. Eu te amo!
não sei escolhi essa postagem dessa amiga...pq ela é uma super poetisa....super poetisa pq? pq faz poesia a partir se da filosofia e da psicanálise....e tbm dos sentimentos claro!!

4 de dez de 2008

A FOLHINHA DE OUTONO... DE GRAÇA MELLO

Uma pérola ao descrever poeticamente os sentimentos tão humanos. As fotografias também são lindas e a comparação com a folhinha um primor de criatividade. Parabéns Graça e tenha um Feliz Natal!

A Folhinha de Outono...


A Folhinha…
voou suspensa no nada do sopro do vento…
rodopiou no ar,
varreu o chão…
escondeu-se na mala do carteiro,
equilibrou-se num pára-brisas,
suspendeu um beijo apaixonado,
espiou coisinhas de adultos…

Já cansada de tanta travessura,
caiu chorosa num banco de jardim,
e, embalou-se na ternura malévola da saudade!

O vento deixou-se impressionar pela dor da folhinha…
onde parará a má fama do vento?
Pois é, o tempo também deixa peugadas no vento….


Decidido, soprou-a até ao seu lar…
Tudo mudara…


a folhinha melindrou-se com a falta de afecto,
com a falta de pensar…com a intemperança das intrigas e
a malévola mentira…


Pingou gotinhas de água,
lágrimas sem sal da meditação nua e crua,
não se deve voltar ao lugar onde, um dia, morou a felicidade…
e esvoaçou… sem um adeus!

por Graça mello

http://wwwmello.blogspot.com/