Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

30 de mar de 2009

Ah,mar...

E derrepente me veio o teu gosto a boca...
E tambem o cheiro...
O quente do sol...
E o frio do vento...
À pele...
A pressão das tuas água nos ouvidos...
Como uma onda quebrando sobre mim...
E eu que tanto gosto de você...
Tanto tempo que não te vejo...
Talvez até por desatenção...
Saudade do seu salino beijo...
Da sua pele na minha sola...
Das vezes que me fez em bola...
Das saideiras na hora de ir embora...
Das vezes que me carregou ao céu...
Das vezes em que quase ao inferno me jogou...
Breve, a ti eu vou...
E vou...
Com todo meu afeto...
Decreto...
Que você é o meu chão...
Sendo assim, então...
O céu, teto...
.
Lipe M.T.Março, 2009
.
http://dedentrodonada.blogspot.com/
.
Decidi postar esta homenagem ao Lipe por vários motivos. Primeiro porque o Lipe é um Ser Hmano ímpar. Criativo e genial em tudo que faz e diz. Sinto-me priviegiada em tê-lo por perto e enfim, poder perceber a beleza que existe dentro do Lipe. Nisto que ele nomeia "de dentro do nada", posso atestar que existe um tudo conteúdo que surpreende-me a cada instante nos dias em que conversamos sobre muito ou quase tudo... Um jovem aos vinte anos, brincando com as palavras na simplicidadeque é ser 'humano'. Este é o Lipe Grande Homem em sua Humanidade e beleza.
.
Dentro do Lipe há Poesia da melhor qualidade.
Por tudo isto ele me é Especial.

25 de mar de 2009

Em minhas mãos...teu voo

Voa nas minhas mãos, leva-as contigo
pelas cordas do violino que teus olhos tocam
quando emudecem por detrás das pálpebras sorrindo.
Sou nas minhas mãos, o íntimo do nada
onde, bruscamente, mil estrelas foram luz!

Sou nas minhas mãos, o secreto sabor da madrugada.
A ternura silenciosa na hora íntima da noite.
O desejo de sentir a proximidade dos teus lábios,
secretos e maduros, como versos inquietos
entre o sonho e a fúria!

Voa nas minhas mãos… a noite não vai existir
porque as nossas bocas, vão acender a madrugada
numa aurora de beijos…
***
Albino Santos
**
Reservados todos os direitos de autor - Texto disponível no blog
http://as-poliedro.blogspot.com/
*******Olha que preciosidade encontrei em uma de minhas andanças pela Internet. Que maravilha! Albino tem uma alma de poeta que sussurra delícias aos nosso olhos. O blog dele é encantador! Neste poema, de uma sensualidade discreta e ao mesmo tempo profunda, ele fala sobre um dos meus maiores amores: a madrugada! E diz de um amor à liberdade que só é menor que a própria essência do sentimento; diz de um voo preso, que paira sobre as mãos - mal de todos nós, poetas e escritores!
Albino, obrigada por transcrever alguns de nossos sentimentos e nos presentear com suas letras graciosas! Felicidades e muita inspiração!
Com carinho,
Fernanda Fernandes Fontes

22 de mar de 2009

cais

***
O que será
essa tormenta
que aflige a alma?
Que tu pedes
tanto ao vento
que te arranque?
Eu queria ser a brisa,
dar-te o balsamo,
deixar-te leve
como a pluma
para ancorar
no meu cais!
(texto&photos por tossan)
***
Texto e fotografia do doce amigo Tossan.
Meu doce amigo, sua fotografia fala, tem palavras,
gestos, conta emoções e trás na revelação de cada uma,
lembranças que todos nós clicamos em nossos corações ao longo da vida.
De repente, você estampa isso num simples nó, num coqueiro,
num barco, num banco, em algum muro de algum lugar já não tão perdido!
E como se não bastasse, você aliou ao clic( Klic...rs) da sua
fotografia palavras escritas que inundam a imagem além da emoções.
Coloca pedacinhos da sua alma, da minha,
de todos que se deixarem levar por você.
Complicado postar a poesia do idealizador deste blog,
mas eu lhe disse que traria o "cais" para cá. Amei. Amei e amei.
Tenho certeza que todos concordarão comigo: agora,
temos um cais seguro, amoroso e terno que nos acolherá
como brisa suave quando nosso coração em mar revolto
quiser arrancar em desespero alguma coisa que nos fere.
Obrigada.
Com minha admiração e afeto. Sempre.
......................................Cris Animal

21 de mar de 2009

Cais da Lingüeta (autopsicografia)

Revejo, à flor das águas,
em rota dolorosa e fronteiriça,
Naufrágios
E os destroços submersos de mim.

Braçadas, diz-me a Razão.
Braçadas!
O mar é alto.
E a alma é apenas perspectiva.

Volto os olhos,
e contemplo o precipício.
Pélago.
Ó Tenebroso Mar que jaz em mim!

Ide, frágil nau!
(Id):
Homem sem bússola.
Um escaler à deriva e
sem chinelos ao pé do leito.

Não há pessoa e o rio que vejo
Também não é o Tejo.
Mas o que resta aqui
de tudo o que já fui:
Embarcações/embarcadiços;
Lares/velas triangulares;
Lábios/astrolábios;
A goga/a sinagoga.

O antigo Cais da Lingüeta.

Tudo me faz pejo.
E o rio que vejo, deveras,
não é o Tejo.
.
postado por Eurico às 09:01 em 19/03/2009
.
.
Esta é a minha singela homenagem a um amigo de infância que ama a língua portuguêsa. Eurico - Um EU-Lírico na blogosfera. Homem de emoção e sensibilidade própria aos grandes. Escritor e poeta. Um Eu-Lírico. Sinto-me honrada em ser sua amiga e aqui no amigos na blogosfera deixo a ele este presente.
...

19 de mar de 2009

Pretenso poema

foto: http://nat.innatura.nafoto.net
Não escrevo poemas pra seduzir
Escrevo pra não implodir,
pra não desabar
Não choro porque sofro
da dor de um amor pequeno
Choro porque
transbordo de um sentissem dono,
sem nome, sem limite
Não grito pra que a multidão me ouça
Grito porque ecoa dentro
de mim uma profusão
de ideias que precisam se libertar
Não desejo a felicidade sem fim
Desejo apenas abrandar
essa inquietação que
gera tantas partidas
Não pretendo definir o que
se passa cá por dentro
Pretendo apenas
prosseguir riscando esses traços
disformes que chamo de lar
*
tossan disse...
Um lamento, um som que escuto
de ti neste momento..
sim escuto..Sei da tua inquietação,
sei porque sinto também.
Esta saudade não é de ninguém
é da gente mesmo.

14 de mar de 2009

Sobre todas as coisas

-foto: Gonçalo Marques -
Uma divagação, uma mensagem pra todos e pra ninguém...
Praqueles que se encontrarem numa vírgula, palavra ou frase completa.
Pra quem se deixar sentir. Permitir-se, simplesmente...

Todas as palavras não mais existem quando falamos de alguém, para alguém ou com alguém que enche nossos dias de magia, das mais simples;

Todas as certezas que se encontram um dia pra definir qualquer coisa, num segundo se desfazem diante desse alguém ou de qualquer outra coisa... e que só pode ser definido da gente pra dentro.Todas as maiores fortunas valem muito pouco, quando se descobre num jeito de olhar e de sorrir, num toque no rosto, um abraço quente e apertado, um beijo esperado, aguardado, desejado... o seu maior tesouro.Todas as escritas mais cobiçadas e que muitos pagam milhões para o seu acervo, não dizem mais quando, nos dias de hoje, se abre um e-mail com um simples “oi” que seja, daquele alguém que faz você sorrir pelo resto do dia.
Quando já se ouviu o pulsar inquietante de um coração querido... todas as músicas se tornam indiferentes e fora de ritmo.
O cheiro da flor que se sentiu com o vento, dura alguns segundo, minutos. E o perfume, daquela pessoa não passa, apesar dos dias... de chuva e de sol.O lápis de cor da cor mais vibrante que houver, é opaco e não vibra mais enquanto os olhos que te atravessa e falam mais que qualquer palavra conseguem misturar na transparência de um castanho de entardecer, todas as cores da vida, realçadas com um brilho que a água mais cristalina e o cristal mais importado não são capazes de ser.Todos os idiomas não traduzem do que está cheio o coração, do carinho da palma da mão, do rencostar a cabeça no peito, de ser guardado nos braços, do abraço ainda hoje sentido, jamais esquecido e mais do que nunca querer ser repetido... mesmo aquele nunca dado, mas já tão conhecido. Tão familiar.

Todos os presentes não recompensam e não trazem a satisfação que a felicidade e o sorriso de alguém ou de algo especial podem te trazer.Nem a manchete da primeira página do jornal te causa tanto impacto quanto a descrição do dia desse mesmo alguém especial. Esse mesmo que você carrega pra lá e pra cá, por onde passa, por onde caminha, por onde vai...Nem as Olimpíadas ou a Copa do Mundo te faz vibrar tanto, quando esse mesmo alguém te conta o que fez, o que quase conseguiu, o que realizou, o que desejava daquele dia, seja de um projeto, um objetivo. Seja de uma idéia à toa...

Quando há uma existência e nela a importância de tudo que te faz sentir, viver e acreditar é verdadeira, você descobre que ser abençoado pode ser tão simples e estar justamente tão perto, que a felicidade que se pensava e passava desesperadamente a encontrar cada vez mais fora e longe de nós, descobre-se que está tão perto, por mais longe que esteja e pode estar e ser nada mais do que aquele que te escreve ou te liga no seu aniversário, no meio da noite, que te disse “eu te amo”, que te compreende nas dores e alegrias e te respeita nos seus momentos mais íntimos e solitários, que te apóia nas dificuldades, que faz teu coração acelerar e se acalmar no mesmo instante, que te deixa a boca seca e as mãos suadas, que um único contato de pele arrepia e se alastra num segundo, que faz tua respiração falhar e o tempo parar, que entra na sua vida e te ensina coisas que jamais se aprenderia nos livros, que faz você quase morrer de saudade e que mesmo sem saber porque e que apesar do que se vive hoje e do que se viverá amanhã... você espera.

Talvez você saiba

Talvez você não saiba

Talvez você desconfie.
Pessoas, sempre terão as suas qualidades únicas e seus defeitos ímpares.
Pessoas, sempre estarão integradas num grupo que possuam ou aparentam ter afinidades ou um objetivo comum...
As pessoas se imitam, se copiam, emprestam idéias, dividem opiniões
Todas as pessoas são maravilhosas, todas sãoo insubstituíveis em algo, todas são destinadas a fazer algo que somente elas conseguiriam fazer, homem e mulher.......Mas nenhuma outra pessoa é igual e consegue ser capaz de fazer o que “aquele alguém especial” te faz e você... ah, você sabe disso!

***

Texto da minha amiga Sam. É assim que ela gosta de ser chamada. Sam do blog 'VOU TE CONTAR" http://shimariah.blogspot.com/

Foi uma agradável surpresa conhecer um pouquinho dessa garota-mulher que há tão pouco tempo entrou no meu blog, mas que surpreende-me com jóias raras como essa. Amei esse texto em especial. Acho que Sam conseguiu colocar em palavras o que todos nós algumas vezes sentimos pela vida. Colocou de uma forma tão simples e tão profunda. Terna e forte.

Sam, minha querida Amiga, obrigada pela disponiobilidade do seu coração em permitir o uso do seu texto e ... continue. Continue e continue. Há tanto de você que gostaríamos sempre poder ler!

Com carinho

........................................Cris Animal

11 de mar de 2009

DA LIBERDADE

***
***
Vai que podes!
Isso é tão verdadeiro e sincero!
Sentir, pensar, crescer,
Aprender, esquecer
Rebelar, aquiescer
Subir, descer, viver!
És livre!
Ao que preferir escolher
A tudo que desejar
A tudo satisfazer
Os desejos do corpo
As aspirações da alma
Vai que podes!
Isso é tão verdadeiro e sincero!
A mim E a ti também!
Doar Abster
Vai que podes!
Isso é tão verdadeiro e sincero
Quanto a materialidade
Que tudo contém
Quanto as contingências
Que muito mantém
Vai que podes!
Isso é tão verdadeiro e sincero
Quanto o coração profundo e secreto
Que sempre, sempre atento
Em última instância É este,
quem bate o martelo!
Vai que podes!
Isso é tão verdadeiro e sincero
Quanto a aprovação desejada
De uma vida glorificada
E tão verdadeiro e sincero
Quanto a existência da espada!
***
(É-se livre... para fazer, com os recursos que possui, o melhor.)

por Luciene de Morais

http://humanidades-e-afins.blogspot.com/
***
tossan disse...
Querida amiga quando te leio fico abismado com o seu talento e generosidade.Sabe lá o que pode significar este belíssimo texto pra muitas pessoas? Nos dá força e confiança. Você tornou isso tão verdadeiro! Vai que podes! Bravo!
***
photos por Edison Baraçal
Reporter fotográfico do Jornal A TRIBUNA de Santos
http://baracal-press.blogspot.com
***
Carrasco disse...
Baraçal, não é à toa que eu sempre digo que você é o ARTISTA DA IMAGEM. Obrigado por compartilhar tuas obras com a gente. Parabéns! Abração.
02/01/2008 - Mauro Carrasco

5 de mar de 2009

Ah se ela dissesse


A primeira vez que ela apareceu, flor do meu acaso, ficou determinado nas tábuas de lei, lá dos céus, o inicio do cisma entre meu passado de incertezas e o futuro improvável, embora ainda não soubéssemos que estávamos na chuva e ela iria nos molhar. Até o dia em que ela surgiu dançando o baile imaginário, numa saia de conteúdo improvável e sem nenhuma certeza estatística de que aquilo era de verdade e não uma ilusão de óptica, uma epifânia de quem não
tragou e não duvida da fé.
Mas eu a vi na retina cansada destes olhos meus que, um dia, ainda muito distante, a terra há de comer, sem o sentido bíblico da coisa com a qual eu a devoraria, e senti o abalo nas minhas placas tectônicas, o sismo na minha abissal fossa sentimental. Desde então tudo que era ilegal, imoral ou que engorda, a metafísica, a oratória e o perfil do colesterol mudaram ao sabor dos seus encantos e do arco-íris de seu riso. Mas como tudo que me acontece além da linha do horizonte, não sai como rezam as lendas e o horóscopo chinês, ela deixou meu coração no bung-jump existencial, oscilando como um samurai bêbado, num haraquiri de fazer inveja a piloto japonês.
Ah, mas se ela soubesse que, desde aquela vez, em que veio ao meu mundo tal qual uma Eva, sem a parreira, e viu a maçã virar sobremesa, eu dividiria o universo em dois hemisférios, abaixo e acima do seu piercing no umbigo. Ah se ela dissesse que é louca por mim e que ficaria no meu corpo feito tatuagem pra me dar coragem de seguir viagem e outras canções. Ah se ela dissesse que é louca por mim e batesse a porta do seu casulo para nunca mais voltar e fizesse comigo uma casa no campo. Eu juntaria as mãos para o céu e agradeceria por ter alguém que eu gostaria que andasse comigo na rua, na chuva, na fazenda e na casinha de sapê, que a vida nada mais é do que esse velho cantar de ilusões.
Se ela soubesse que por ela eu aprenderia uma nova língua, decifraria os sinais de fumaça, comeria manga com leite e mudaria a ordem das constelações celestes para que seu riso passasse a orientar os navegantes solitários como eu. Se ela soubesse que pularia de para- quedas e contaria a história do mundo no seu ouvido feito uma Sherazade online e com segundas intenções, para garantir que funcionaria regularmente por ser sábado e outros dias da semana, por mais que mil, por todas as noites de minha vida, perdido no pôr-do-sol dos olhos dela que acontece todos os dias entre lugares tão distantes como a primavera e o verão,
o pólo norte e sul, o equinócio e o solstício.
Por ela aprenderia a dançar, o nome das flores, cavalgaria o minuano, andaria sobre os telhados e por seu beijo removeria montanhas e iria a Maomé e a tornaria meu orixá regente. Só por ela, tão linda, tão linda, tão linda, que confunde meu sono e sonho, eu desviaria a rota dos cometas e a hora de Greenwich.
Eu faria tudo diferente, sem meter os pés pelas mãos.
Ah! Eu acordaria. Mas só se ela dissesse,
se ela dissesse, que é louca por mim...
****
Considero todos os textos desse amigo de muita sensibilidade e ternura. Toques de amor, alegria, ira( por que não?), sensualidade, desejos, mas esse texto além de ser uma leitura extremamente gostosa, leve ela traduz exatamente a nossa espera pelo passo do outro. Aquela coragem contida, escondida, segredo de sete chaves à espera de um primeiro passo. O passo do outro!
Então...ah então, quem sabe, enche-se de coragem e solta-se o grito: eu te amo!
Parabéns meu amigo Cesar, por colocar em palavras tanta emoção, tanto da alma desse velho mundo humano!

2 de mar de 2009

A paz!

Neste náufrago,
perdida e imersa,
a nadar aleatoriamente
mergulha
sobre os céus,
- estes céus -
gaseados e côncavos
e de si mesma
não se econtra,
já não pode...
Vá...
Voe
e voe
e voe!
pois aqui,
- ainda não te encontrei.
***
Mateus Araújo
*
Esta postagem é uma reverência a um jovem talento.
Mateus Araújo, tem apenas 17 anos e escreve como
poucos, como os grandes...