Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

26 de mai de 2009

A poesia da vida...

A poesia da vida, a emoção sentida
Na ausência de Aurélio, perguntei a Ruth Rocha o que era um poeta, ela soprando em meu ouvido, feito uma brisa perfumada, numa noite estrelada, onde a lua acariciava as belas palavras, me respondeu:Poeta, a você de alma tão inquieta, é:1) Aquele que faz versos;2) Aquele que tem imaginação inspirada;3) Aquele que se afasta da realidade.E o que é poético Ruth? É o que tem poesia. Que inspira. Relativo à poesia.E por que ele que inspira poesia e transpira imaginação insiste que não é poeta? Isso não sei Paula, não compete a mim decifrar a alma dos escritores. Cada um é cada um. Com suas alegrias e dores. Com os sonhos que nunca deixam de existir. Com a imaginação que faz da dura realidade, do árduo dia a dia, um momento poético.E o que é um não-poeta? Paula, pergunte a sua alma. Escute os pingos das águas que escorrem dos seus olhos a baterem na bacia de ágata verde e cante os versos. Conte as badaladas do seu coração e deixe descarrilhar os ponteiros. Sinta a sua respiração, respire a beleza e se permita sonhar. Quando assim se sentir, terá encontrado uma não-poeta.Escutei quando a minha alma me chamou. Menina, menina, você que mora dentro dessa mulher tão adulta, senta aqui. Me escuta. Vou te contar uma história.Lá, naquela casa, há muito tempo mora um poeta. Mas ele não gosta de ser chamado de poeta. É pouco para ele. Não combina com o ser dele. Ser poeta é enquadrá-lo, dar forma, ritmo, métrica, combinações, e isso ele não quer. Sabe porque? Porque ele também tem uma alma assim feito a sua. E o menino que ele procura, vive dentro dele. Assim feito a sua menina vive dentro de você.Essa alma é que proporciona a liberdade de pensar, de criar, de imaginar, de sonhar, de embriagar-se e embriagar. É a mesma alma que dá asas a quem escreve e a quem ler.Então, o não-poeta é aquele que escreve muito mais que poemas. Ele sabe transformar momentos de vida com imaginação, encanto, emoção. Distribui palavras em papel celofane colorido. Coloca estrelas coloridas nos olhos de quem ler. Faz as pessoas escutarem um música interna. Tem a liberdade do pensamento.
Gosta de sonhar.
E voa através das palavras feito quem voa num tapete mágico.
Portanto, ler um não-poeta é para poucos.
Permita-se ler e sentir. Voe na imaginação.
Escute os sons internos, sinta vibrar a alma
e o corpo quando ler um não-poeta.
Não tente entender. Entender,
é perder o encanto e o canto da emoção vibrando.
por Paula Barros
**
Avassaladora disse...
Paula, meus olhos viraram céu estrelados...
Duas bolinhas, onde estrelas cintilam,
embevecidas pela beleza de suas palavras!
Agora eu sei o que sou...
Claro que sou uma não-poeta...
Não que eu seja pretenciosa,
apenas porque o que escrevo,
( o pouco que escrevo),
escorre por minha alma,
meu coração e sai nas pontas dos dedos...

12 comentários:

  1. EVen don't know the meaning , i hope the meaning as nice as the picture...hehhehhe...

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tossan

    Não vale me fazer chorar. Estou emocionadíssima.

    Você me surpreende sempre, sempre. E meu nome na foto é um detalhe enorme, que você faz, e só você me faz esse carinho.

    Me ler em outro lugar é diferente. E trazida por você é me sentir carregada nos braços/coração.

    um beijo especial. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  3. Paula Barros, impagável e impecável!!!

    Essa menina parece que tem magia na ponta dos dedos...

    É capaz de trazer do fundo de sua alma os mais belos sentimentos e colocá-los em forma de poesia para nos encantar!


    Beijos a esses deliciosos Amigos !


    Beijos em seu coração, Paula!

    ResponderExcluir
  4. Eu tive medo de perder
    E de nunca mais poder buscar...
    Mas não sabia que perdendo
    Estaria também a ganhar.

    Prque a perda de ontem
    Pode até mesmo ter estado
    Na origem daquilo
    Que hoje foi conquistado.

    ResponderExcluir
  5. O pior medo que se apresenta, é aquele em terreno sem perigo: quando mesmo em calmaria, tenho medo, o que há? É comigo ou com outro?

    Eu não somente tive, como tenho...

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Sempre quis ter um jardim desse para fazer um labirinto.

    ResponderExcluir
  7. Belíssimo poema!
    Merecida homenagem.
    Estou hiper feliz Paula por ler-te aqui sob os auspícios do Tossan.

    Seres humanos especiais.
    Especial poema, especial homenagem.

    Este poema, eu juro, desejei ter escrito.
    Eu tenho medos assim...
    Teu comentário prá variar, também me emocionou.

    Parabéns Paula.
    Obrigada pelo belíssimo poema.
    Carinho,
    Mai

    ResponderExcluir
  8. Tossan e Paula, uma dupla de pura emoção...


    Paula, quando li seu textoontem anoite me sentí quase que paralizada...
    Sabe quando ha uma reação em cadeia... mente, corpo, coração, tudo!
    Uma sensação de plenitude!

    Acho que essa é a plavra para seu texto: PLENITUDE, completo, perfeito!

    Já disse outras vezes e volto a repetir: Voce é um ser fantástico!


    E o Tossan, por ter a sensibilidade de ler e entender a magnitude de suas palavas, se torna, junto com vc, um ser especial!



    Emoção é para ser sentida, não para traduzir em palavras complicadas...



    O melhor mesmo é ler e sentir... simplesmente sentir!



    Beijos na alma e no coração!

    ResponderExcluir
  9. Outra vez um belíssimo texto.
    A Paula vem escrevendo de tal modo que quase parece ser um transe. Lindo este, diferente do anterior mas, igualmente belo.

    Li e me emocionei por duas vezes.

    Carinho,
    Mai

    ResponderExcluir
  10. Oi Paula, prazer em conhecer a ti e teu espaço. Muito boa a idéia da interação.

    Me visite quanto quiser, as portas estarão sempre abertas.

    Lindo blog e linda tua escrita.

    bjs e boa semana.

    Lu C.

    ResponderExcluir
  11. Achei o texto muito reflexivo!
    A vida é algo mágico sem explicação!
    Lindo d+ viu... [imagem perfeita]

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.