Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

20 de dez de 2008

UM LÉO QUE EU CONHEÇO

Ele é Único.
E jamais, qualquer-quem, cogite,
ou mesmo ouse, querer mudar
uma pessoa assim: única e linda como ele.
Porque 'a gente é, para o que nasce'...
Assim, Léo, não precisa mudar.
Mandoki é assim e ponto.
E não precisa ser diferente.
Porque ele é muito,
em tudo o que é e faz.
Também é Sol, tem luz,
e brilha, e ama e sente
saudade e é sensível
e sente dor e solta pum.
Ele ousa, e marca.
Justamente porque,
Léo, não é óbvio.
Léo é um vinho raro.
É único, como eu,
Paula ou Tossan,
mestre da fotografia e seu amigo.
E, sendo único, não precisa mudar,
não há nada o que mudar.
Léo é assim e ponto.
Mas mesmo assim, mudamos
e ele,também, porque há diversos
ciclos em nossas vidas...
Mas a citação de Whitman,
é perfeita, porque nosso Sol,
ou nossa luz, brilha em igual
grandeza.Eu afirmo, embora
sejamos únicos, nenhum de nós,
é superior ou inferior.
Ordem de grandeza,
é referência de astros
celestes, não cabe a nós, humanos.
Porque lutamos, diariamente,
para encontrar doses, menos
destrutivas em nossa forma
de ser e estar no mundo.

Tá bem, eu confesso.
Já tive uma remington 25.
Está guardada.
Mas ainda o Léo.
Ele é tão especialmente singular,
tão único e diferente do óbvio que,
o que ele disse, é verdade: prá me
fazer reagir e agir, sem pieguices,
ele de fato, me deu um grito, dizendo
que não queria saber da minha infância.
Somente ele teria essa coragem-dura,
prá, gritar insultos e me fazer largar,
o primeiro esboço de auto-piedade
na dor que se ensaiava.
Quem, a não ser o Léo, faria algo assim?
Ele é desumano ou incivilizado?
Óbvio que não.
Ele é demasiado humano, civilizado,
corajoso e sensível, mas também é sim,
rabugento e malcriado.
Léo sabia que eu precisaria estar forte.
Fiquei triste com ele?
Talvez.
Mas apenas por intermináveis dois segundos.
Porque logo percebi que ele, havia feito aquilo,
porque "sensível" embora ele grite que não é,
percebeu e sentiu, que eu precisaria reagir
e agir diferente, eu teria que estar forte.
Realmente, somos ainda, amigos virtuais.
O que nos une?
A poesia, a escrita, a sensibilidade,
o gosto pelos livros e o saber.
Mas, como penso que o dia e a alegria
é hoje, não poderia deixar de escrever
aqui, sobre o Léo que conheço.
Estou no Galeão, aguardando um vôo e,
é tão incerto o amanhã...
Queria poder falar isso tudo, mas é tanto
a dizer sobre este Léo que eu conheço,
e ele reclama que sou hiperativa...
É que nos segundos desse tempo inexato
em que o encontro, quero despejar rios
de palavras, porque talvez
não haja um amanhã possível...
O Léo que eu conheço, gosta de ter
um toque de abstrato de mistério.
Ele é um vinho raro.
Os Vinhos, também são voláteis.
Léo Mandoki, Jr.
Um Ser Humano, único,
como cada um de nós.
E todos, sóis, e seres humanos- errantes,
tentamos, a cada dia sermos mais humanos
e civilizados do que fomos ontem.
Por que duvidas tanto que alguém possa te amar?
Um beijo, Mai.
*
Um presente ao Léo Mandoki, Jr.
Um Ser Humano, Único e especial.
Feliz natal

3 comentários:

  1. Oi,

    Nossa que legal isso!!!
    Uma demostração de tamanha amizade!
    Deixar o outro saber que é tão querido, e admirado!
    Eu conheço o Léo virtualmente a pouco tempo mas, já é o suficiente para saber que ele é especial, gentil e amável!
    Quanto a vc Mai não conheço mas, com certeza só pelo seu gesto já ganhou minha admiração e respeito!
    vou procurar o seu blog para te conheçer melhor.
    ADOREI seu gesto, sua amizade por ele é muito bonita viu!
    bjinhos

    ResponderExcluir
  2. Nossa...
    Ele fez mudanças, como trocar alguns móveis de lugar, na vida de algumas pessoas...

    Vim aqui pra desejar um 2009 de mta sinceridade singular para o Leo q vc conhece e para td vc's.

    Tossan qrido!! Saudades... ( estou sempre olhando tuas coisas, msm q vc não veja)

    Bjão d...

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.