Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

9 de abr de 2009

estado de graça

O estado de graça demorava a chegar. Sua mãe logo notava, quando ela disfarçadamente diminuía o embainhado do vestido, sempre viscose. Não se continha naquela sobriedade sem lacres, ou velas. A lua sua fiel escudeira, clareava os campos para que os moços se deleitassem com seus cachos de veludo valsando no ar. Não passava rouge. Não ensaiava a face. Não pintava unhas. Abusava da lavanda. Deixava por prazer alvinha suas anáguas. Quando a neblina aparecia, hidratava-se lábios... Seu estado de graça, mesmo de graça, gastava retina galopes palavras...
**
Abraão Vitoriano

http://abraaosousa.blogspot.com/
**
Abraão chegou a mim. E eu ganhei de presente o Abraão e sua poesia, sua doçura e encantamento. Agora não poderia deixar de homenageá-lo porque eu senti uma emoção tamanha ao ler este texto poético que não me contive. Este é Abraão. Simples assim... Dizendo-se um menino-homem. Mas grande homem em poesia.

11 comentários:

  1. Eu me emociono com a capacidade que o Abraão tem de retratar cenas com palavras simples. Por vezes ele usa apenas tres palavras e eu fico em êxtase com a poesia que ele consegue reunir em tudo o que escreve...
    Simplesmente eu sinto a poesia e o amor que transborda neste escritor e poeta de talento.

    Abraão, eu sou agradecida por teres me encontrado e não te perco , por nada.

    Carinho,

    Mai

    ResponderExcluir
  2. E como não se emocionar, diante de texto tão belo?

    Escolha muito Feliz, Mai.
    Um presente para cada leitor desse blog inspirado.

    Beijos mil!!!

    ResponderExcluir
  3. è na simplicidade que reside a harmonia
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu sou suspeita para falar, porque acompanho o Abraão desde a muito tempo, e temos uma sintonia fina,

    sou rendida aos seus encantos poéticos e ele sabe disso!

    Essa homenagem carinhosa é muito especial e merecida!!

    Parabéns ao talento ímpar do menino, e a sensibilidade apuradíssima da minha amiga Mai!

    ambos lindos!!

    ResponderExcluir
  5. Mai, que lindo!
    O simples que fica tão rico sem deixar de ser simples. Toca na simplicidade e na profundidade de toda a sua riqueza "escondida" .
    Homenagem mais do que válida.
    Lindo texto.
    beijo
    .............Cris Animal

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. “Luz”

    Ela encoraja a lamparina
    e sou vida...

    beijos,
    carinho, agradecimento, emoção...

    O menino-homem vive de Mai(s)...

    ResponderExcluir
  8. Querida Mai,

    Linda homenagem ao Abraão...

    Tambem sou fã de seus escritos!

    Bjos na alma!

    Ah, já estou linkando lá!

    ResponderExcluir
  9. Um texto muito belo, adorei!
    A imagem está excelente em sintonia com o texto.
    Aproveito para te desejar umas festas muito felizes!
    Beijinhos,
    Ana Paula (Be happy - Aveiro?)

    ResponderExcluir
  10. Para que a terra não trema
    Para que esta Ilha seja de boa guarida
    Mil e muitas ave-marias
    Para iluminar tanta alma perdida

    Em meu peito bate a fé
    Sou um caminhante de muda revolta
    Olhos presos a este manto verde
    Alma que se ergue e fica solta


    Boa Páscoa



    Abraço amigo

    ResponderExcluir
  11. Belo. Muito belo

    (cheira a lavanda)


    gostei desta ideia " AMIGOS na blogosfera "


    Já volto!

    saudações


    iv

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.