Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

25 de jul de 2009

Dentro de mim

Dentro de mim
navegas como um barco
incerto, à deriva...
Ondas gélidas e enfurecidas
que vêm e vão...
nessa turbulência
eu, que me fecho em ostra,
fazendo um esboço em minha face
de um sorriso esmaecido,
açoitando em minha alma essa solidão...
momento insone em que lágrimas
fazem arder as minhas retinas
em gotículas que ferem como agulhas
dentro do meu coração...
num choro compulsivo dessa lembrança
Dor que ainda sinto daquele Adeus...
desmoronando em cada arrebentação!

por RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO
http://blogrenataeuedai.blogspot.com/
*
Graça disse...
Que lindo poema, Renata... com imagens belíssimas...
"navegas como um barco incerto"..."que me fecho em
ostra"..."acoitando em minha alma essa solidão"...
apetecia-me reproduzir todo o poema.
Gostei sinceramente
.

©tossan disse...
Certa vez um amigo português me disse: Não te afundes na escrita, seja mais positivo e a tua poesia pode ficar mais presente. No momento não aceitei e hoje percebo o quanto ele estava certo, porém confesso, ainda não me libertei disso totalmente.Repasso a você de coração, porque a tua poesia é bonita e eu gosto muito como esta, por isso ela está nesta edição.

14 comentários:

  1. Eu diria que palavras mais certas não existem como essas pra descrever um coração em prantos!
    Lindissimo, mesmo com toda beleza e a profundidade de um coração aberto!

    beijoss

    ResponderExcluir
  2. Tossan tu és genial e esta é uma bela homenagem.
    Parabéns a ambos.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo seu texto, palavras belas e profundas... *.*

    ResponderExcluir
  4. Perfeito! Profundo. És um coração despedaçado pela maldade de um Adeus!
    Conseguistes tranbordar toda a dor em palavras...
    Lindo!!!
    Beijos Renata e parabéns Tossan pela bélissima escolha!!!

    ResponderExcluir
  5. Poema muito bonito apesar de ser também muito triste, mas... na maior parte das vezes são os poemas triste que mais nos tocam
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Renata e Tossan...

    Voce pela escolha, //renata pela bela inspiração...

    Parabéns!


    Chega a doer, a medida que vamos lendo...

    Esse arrebatar, cheio de dor...

    Nuito bom e respinga sentimentos...


    Beijos para voces!

    ResponderExcluir
  7. Certa vez um amigo português me disse: Não te afundes na escrita, seja mais positivo e a tua poesia pode ficar mais presente. No momento não aceitei e hoje percebo o quanto ele estava certo, porém confesso, ainda não me libertei disso totalmente.
    Repasso a você de coração, porque a tua poesia é bonita e eu gosto muito como esta, por isso ela está nesta edição. Beijo

    ResponderExcluir
  8. Ai como é duro guardar na memória aquele Adeus... guardar o cheiro , o gosto, a musica do momento... a dor.. e sentí-la "vez em quando"...é tão ruim como a primeira vez... E tentando sobreviver, tento não pensar, tento não sentir, tento não te amar!

    ResponderExcluir
  9. Dar credito aos verdadeiros autores é extremamente importante, neah?!
    XD

    ResponderExcluir
  10. Incríveis sensações por palavras bem colocadas....
    Forte abraço, querido!

    ResponderExcluir
  11. Achei triste, mas lindo e verdadeiro! Parabéns

    ResponderExcluir
  12. oh thats a loneliness of a shadow..

    amazing thought:)

    ResponderExcluir
  13. lindo, lindo!
    ainda sinto a dor daquele adeus e meus olhos ainda ardem pela saudade que ficou.

    ResponderExcluir
  14. De tão bela que até fere! abraços

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.