Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

20 de jul de 2009

Duo de cordas - Desiderata...

photo da netLira que toca ao vento,
vento te toca, lira.
Vem, Orfeu,
toca comigo essa lira?
Vem compor nossa música.
Hoje, sou apenas olhos, desejo.
Chiiiiiiii não fala nada...
Espera, não tem pressa, toca...
Toca a lira devagar, em duo.
São tão lindos os tons, sons.
Teus toques repletos de clave, tem Sol.
Essa noite-milagre, tem duo, tem dois.
Pausa-silêncio//
Essa lira-ternura, mansa, não tem dissonância,
mesmo quando as cordas, gemem, seus sons.
De novo meus olhos, falam e riem,
essa desiderata festa musical!
Sim, minhas maõs tocam leve,
teu rosto e tua lira.
Quero nada-fazer, hoje, sou só, contemplação.
Minha boca é ponta, seda-toque dos dedos,
que executam vienenses, corpo,
lira, e nossa doce melodia,
só prá saber se meus olhos, não mentem...
Liras são frágeis e mansas, choram,
a emoção da melodia, amor.
Ah! Orfeu, afinarei contigo e juro,
não arranharei tua lira! Chiiiii...
Ternura, não fala nada, cala, dorme.
Já te amei bastante, hoje.
Instante interminável, minha lira de amor,
foi tocada em Sol e lá, em mi maior.
Foi toccata em dueto.
por Mai
***
iara disse...
tão lindo esse mai, que meu saudade de tocar
junto e me lembrou uma música que amo....
Mesmo que os cantores sejam falsos como eu
Serão bonitas, não importaS
ão bonitas as cançõesMesmo miseráveis os poetas
Os seus versos serão bons
Mesmo porque as notas eram surdas
Quando um deus sonso e ladrão
Fez das tripas a primeira lira
Que animou todos os sons
E daí nasceram as baladas
E os arroubos de bandidos como eu
Cantando assim:
Você nasceu para mim
Você nasceu para mim
***
tossan disse...
Sabe Mai, quando estou lendo os teus poemas
ouço uma voz suave mais firme,
como nos teus textos. Lógico só pode ser a tua!

11 comentários:

  1. Um duo de cordas que desidrata mas que tem uma música que se sente, tão suave e bela. Adorei! Parabéns!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. nossa achei linda demais a homenagem no dia do amigo!
    bjs pra vc mai.

    ResponderExcluir
  3. Lindas palavras, toda uma atmosfera que contagia, é maravilhoso ter o dom da escrita,
    ABÇS NETUNIANOS

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito o poema, os acordes da lira são suaves tocados em duo faz vibrar as esferas do universo
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Fabuloso poema!
    Parabéns, Mai.

    ResponderExcluir
  6. Tudo bem?

    Tô te seguindo aki no teu blog. Passa no meu e vê se gosta e segue e aí podemos começar a trocar coments e seguir um ao outro que tal?

    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Mai, é possível imaginar o espetáculo, o encontro, o momento do encontro em sons e ternura, é possível ouvir a melodia e se deixar tocar.

    Que belo a sua habilidade com a palavra nos trazendo emoções.

    beijo especial, e um abraço já sentido no real.

    ResponderExcluir
  8. Inenarrável o que sinto agora, ao reler este texto, ao ler os comentários, ao perceber olhos, almas, mãos e vibrações amigas. Este é um dia de homenagem aos amigos e amigos se dão e se doam em gestos como este do Tossan.
    .
    É possível sentir verdade e intensidade emanadas virtualmente.
    Eu sinto. E como sinto, afirmo que não somos apenas amigos virtuais. Nós existimos, pensamos, sentimos.
    Eu sinto cada um de vocês.
    Eu sinto o teu carinho, Tossan.
    Eu te abracei, Paula e senti um carinho REAL de uma amiga NOBRE.
    Obrigada, Tossan.
    Muito, muito grata.
    Obrigada à todos e a cada um especial abraço, neste dia do amigo.

    ResponderExcluir
  9. Este duo me deixou sem folêgo!!!
    Sem palavras....
    Beijos carinhosos...

    ResponderExcluir
  10. Sabe Mai, quando estou lendo os teus poemas ouço uma voz suave mais firme, como nos teus textos. Lógico só pode ser a tua! Beijo

    ResponderExcluir
  11. Sem querer desmerecer o trabalho da poeta, não achei muito atraente.
    [:o]

    Por dois motivos:

    1) Não gosto muito de falar em Orfeu. O pobre desgraçado teve um dos piores fins que um poeta pode querer ter.

    2)O pobre coitado não tinha outra guria na cabeça a não ser Euridice. Você pode chamá-lo à vontade, entretanto, ele vai continuar lá... Tocando no Hades para Euridice, que deve estar congelada só de sacanagem para ele não poder compartilhar nada com ela. Talvez toque um metal melódico, gótico, acompanhado por Heavy Metals, com o som de fundo das moças gemendo de dor, pois estão no Inferno... (Orfeu meteu-se no Hades de maneira voluntária).

    Só quem desconhece que Orfeu não dava bola pra mais ninguém, além de Euridice, chamaria o cara pra tocar junto.


    _____

    No mais, parece ser uma boa poesia.
    Apesar da forma não condizer com o conteúdo.
    __

    Sim, sou crítico literário de fim de semana nas horas vagas :p.
    hehehe

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.