Disseminando gentileza nos encontramos no tempo da delicadeza...

22 de jan de 2009

Em busca do amor.

Nas trevas da solidão ofusca,
Tenho um coração que busca
A magia que é o Amor.
E nessa constante procura
Vivi na louca ditadura
Provocada por essa dor.

Já não vivo, sou vegetal,
Com raiz num pérfido areal,
Sem fertilizante para crescer.
A dor é a erva daninha
Que sufoca esta vontade minha
De querer sorrir e viver.

E a água com que me regam
É aquela com que meus olhos cegam
Vinda do outro lado do amar.
É o ácido que me corrói,
É a falta de ar que destrói
Esta enorme vontade de chorar
*
(Autor Desconhecido).

7 comentários:

  1. QUERIDA ANA, MARAVILHOSO POEMA... QUE COMO O NOME INDICA, UM BELÍSSIMO POEMA DE AMOR...BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
    FERNANDINHA

    ResponderExcluir
  2. Que lindo o poema!
    a junção de tudo é maravilhosa!!

    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Desconheces o autor? Não importa, a arte da escolha é mais complicado. E tu és genial nisso. Beijo

    ResponderExcluir
  4. Lindo Ana!!!

    triste mais lindo!

    bjinhos

    ResponderExcluir
  5. Triste, mas forte esse poema, sentimento que de alguma forma por esta vida já todos sentimos.
    beijinhos

    ResponderExcluir
  6. O amor é lindo, de qualquer forma que seja descrito, narrado, enfim...
    Embora nem todos tenham vivido esse lado triste, mas ele existe e será vivido por todos nós um dia.


    Beijo grande!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Visite-nos em nossos blogs pessoais.